domingo, 19 de outubro de 2008

"Famílias, Amo Vocês", Luc Ferry

A VEJA desta semana traz a entrevista do filósofo francês Luc Ferry, de 57 anos. Ele está alinhado com o chamado humanismo secular, corrente da filosofia que propõe o uso da razão crítica em vez da fé, na busca de respostas para os assuntos que mais intrigam a humanidade, como o amor, a morte e a procura da felicidade. Ele foi ministro da Educação da França de 2002 a 2004, e mentor da polêmica lei que baniu o uso de véu pelas estudantes muçulmanas nas escolas públicas francesas. O filósofo francês que se tornou best-seller ao expor suas idéias de forma simples diz que os filhos tomaram o lugar da fé e das ideologias na vida espiritual do homem moderno. No seu novo livro, "Famílias, Amo Vocês", argumenta que a família substituiu a religião como entidade sagrada no mundo moderno. A família é a única entidade realmente sagrada na sociedade moderna, aquela pela qual todos nós, ocidentais, aceitaríamos morrer, se preciso. Os únicos seres pelos quais arriscaríamos a vida no mundo de hoje são aqueles próximos de nós: a família, os amigos e, em um número bem menor, pessoas mais distantes que nos causam grande comoção. No século XX, o ser humano virou sagrado. Vale a pena conferir na VEJA.

Um comentário:

Andre Whittick Nasser disse...

Gostei muito.

Estou lendo este livro do Ferry.

Eu já estava na onda do Baudrillard.

E achei uma ótima continuação pop nas idéias do Ferry.

Bjs

AWN